INVESTIMENTOS: 3 Motivos SIMPLES  para investir em renda fixa

Por: Fabiana Carvalho

Primeiramente vamos entender o que é renda fixa.

É uma modalidade de investimento onde a rentabilidade é previsível. Ou seja, você já sabe quanto irá receber no final do prazo de vencimento.

Existem diversos tipos de aplicações na renda fixa. Elas são caracterizadas por objetivos, risco, emissor, rentabilidade etc.

Ela pode ser emitida por instituições financeiras

  • Privadas
  • Públicas
  • Bancos,
  • Empresas
  • Governo

Os investimentos de renda fixa funcionam como um empréstimo do seu dinheiro para o emissor.

Em troca, você recebe uma taxa de rentabilidade fixa, que é definida no momento da compra. 

3  Motivos para investir em renda fixa

Agora que já sabemos que é que rena fixa

Vamos ver os motivos para investir

1-Investimentos para todos os bolsos

Se você tem pouco dinheiro, essa é uma ótima noticia para começar a investir no em renda fixa, no tesouro direto já pode começa a partir de R$ 30 reais.

Ou você pode investir em uma CD, investindo R$ 500. Tem para todo o gosto e bolso.

2-Tem liquidez

 O investidor pode vender os papéis diariamente e a transação é realizada no dia seguinte. Dias uteis.

Se você pretende resgatar o título antes do vencimento, o ideal é optar pelo Tesouro Selic.

Existem ainda os CDBs com liquidez diária, que podem ser resgatados da mesma forma que a poupança, mas com uma grande vantagem: enquanto a poupança tem rentabilidade mensal (apenas no “aniversário” da conta), o CDB rende diariamente.

No  CDB, ele será proporcional ao tempo em que o dinheiro ficou aplicado.

3-Cobertura do FGC

O Fundo Garantidor de Crédito (FGC) garante o pagamento ao credor caso a instituição financeira coberta pelo fundo não consiga honrar com seus compromissos, em casos de decretação de intervenção ou liquidação extrajudicial.

Uma entidade privada, sem fins lucrativos, que garante na eventualidade de o banco decretar falência, a restituição de até R$ 250 mil por correntista ou investidor.

Então, fica a dica: se você quer investir em renda fixa, comece pelos CDBs, LCIs ou LCAs, que são garantidos pelo FGC.

Portanto, você já sabe os motivos para investir em renda fixa.

Gostou do conteúdo?

Deixe seu comentário

Até o próximo vídeo.

Meu instagram:

https://instagram.com/afabianacarvalho?igshid=nrw98v10rni3

Canal no youtube:

FONTE DE RENDA: Quais os tipos de renda passiva mais comuns?

Por: Fabiana Carvalho

A principal característica da renda passiva é não ter que trabalhar ativamente.

A tendência é que o dinheiro continue rendendo e você lucrara independente do seu esforço direto.

Porém não se engane em pensar que é ganhar dinheiro fácil, pelo contrario, tem que dar um esforço inicial para depois desfrutar da renda

Quais são as vantagens da renda passiva?

São diversas as vantagens, entre elas:

  • Pode viajar para onde e quando quiser sem depender marcar presença no trabalho
  • Poder ajudar amigos e parentes
  • Construir uma reserva financeira
  • Elevar o padrão de vida
  • Conquistar a independência financeira

Tipos de renda passiva

Em geral, existem dois tipos de renda passiva:

  • Renda passiva com capital:  Quando você usa o seu capital financeiro(Dinheiro) como meio para obtenção de novas receitas, como por exemplo investimentos em ações, dividendo ou tesouro direto.

  • Renda passiva sem capital: 
  • São receitas passivas provenientes de outros meios, como pensão, direitos de imagem ou autoral, royalties, entre outros.

Quais os tipos de renda  mais comuns?

Investimentos

O investimento financeiro é uma operação de compra e venda de um ativo financeiro com o objetivo de repor o valor de compra do ativo e obter lucro na operação

Poderíamos dizer que o objetivo de um investimento financeiro é fazer que, com a ajuda do tempo, “o dinheiro renda dinheiro”. 

Existem  duas formas de realizarmos um investimento financeiro:. 

Investimentos em renda fixa:

Quando uma pessoa investe em renda fixa, ele está emprestando o próprio dinheiro ao emissor do titulo, em troca vai receber certa quantia de juros.

Ou seja teremos a certeza do lucro que iremos receber.

Título pré-fixados: a quantia de juros que o emissor pagará ao investidor é definida no momento que o investimento for firmado.  Um exemplo? um título que paga 7% ao ano. 

Título é pós-fixados:

essa quantia de juros que será paga é vinculada a algum índice que servirá para definir esse valor, no momento que o título vencerá. 

O CDI representando a curva de juros e o IPCA representando a inflação são os índices mais utilizados no mercado

Quais os investimentos em renda variável? 

A lista é grande, mas para sermos mais práticos, as principais opções que o investidor brasileiro têm à disposição, quando falamos em renda variável, são:

Ações:

São as parcelas que compõem o capital social de uma empresa, ou seja, são as mínimas unidades de títulos emitidas por sociedades anônimas. 

Esse é o motivo pelo qual o valor delas sempre varia: o mercado está sempre “precificando” o valor de uma empresa de acordo com o que acontece com ela –

resultados comerciais por exemplo –  e, com o cenário econômico em geral, o preço do petróleo é algo que afeta muitos mercados.

Importante entender que quando um investidor compra uma ação – pode fazer isso na bolsa de valores – ele se torna sócio da empresa que a emitiu.  

Commodities: 

São produtos de qualidade e características uniformes, que não são diferenciados de acordo com quem os produziu ou de sua origem, sendo seu preço uniformemente determinado pela oferta e procura internacional.

Basicamente, são todas as matérias-primas essenciais que possuem baixo nível de industrialização.

Tanto é que, as commodities negociadas na bolsa são, principalmente, relacionadas ao agronegócio

Açúcar

soja,boi gordo

café,etanol

entre outros) e a

industria de extração de  minérios

o ouro é o exemplo mais famoso)

Aluguel

Um exemplo clássico de renda passiva: os aluguéis. As pessoas costumam investir em imóveis, buscando uma renda mensal através da locação desses imóveis.e não são poucos.E a forma de renda passiva mais popular que existe.

Para entender bem se este tipo de movimento compensa, é preciso avaliar o preço de compra do imóvel, o potencial valor de locação da região, e o prazo em que se pretende manter o imóvel locado.

Além, claro, de todas as despesas com manutenção e administração do local.

Também valido comprar terrenos e esperar para depois revede-los por uma preço alto.vai depender também da localização por exemplos,quanto mais movimento, maiores as chance de ter um lucro acima.

Gostou do conteúdo?Deixe seu comentário.

É só acessar no blog que temos muito mais!

Nos acompanhe também no canal do youtube bolso prospero

Até a próxima!

FINANÇAS: 4 DICAS DE OURO de gestão financeira pessoal

Por Fabiana Carvalho

Olá prósperos, como vocês estão?

e ai prontos para mais uma super dicas sobre finanças?

Vamos lá .

Gestão financeira pessoal é um conjunto de técnicas e estratégias que moldam a forma com que você ganha, economiza e investe dinheiro.

Ela é feita normalmente com algum objetivo claro que pode ser:

Ter um fundo de emergência

Se aposentar mais cedo

Viajar

Ter sua liberdade financeira

São diversos os objetivos financeiros que você pode ter.

Eles podem estar ligados ao seu projeto de vida para o futuro.

Para todos os objetivos, você precisará de um planejamento financeiro pessoal..

Em seu planejamento financeiro, você definirá quanto precisa ganhar, quanto deve  poupar e quanto precisam investir, para chegar ao seu objetivo em um período de tempo determinado.

A gestão financeira nada mais é do que conhecer sua renda o que você ganha  e seus gastos e se planejar para que seus ganhos não supere seus gastos.

Sabendo quanto pode sobrar a cada final de mês, você tem condições de saber s

e pode ou não realizar novos investimentos.

1ª DICA: Valorize o esforço do seu trabalho, se você não valorizar ninguém mais valoriza.

A maioria das pessoas, não valorizam seus esforços. Prova disso que, a maioria dos brasileiros está endividados.

A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) de dezembro apontou que 66,3% dos consumidores estão endividados, uma alta de 0,3 ponto percentual com relação a novembro. No comparativo anual, o indicador registrou aumento de 0,7 ponto percentual.

Eles recebem e gastam todo o seu salario e quando chega no final do mês, não tem mais nada ou qualquer nada e  recorrem  ao carto de créditos , parentes e amigos

Então da próxima vez, não gaste todo o seu salario. Pague-se primeiro, tirando 5% a 10%,para você fazer investimentos ao longo prazo.

2ª DICA: Reserve uma valor para as despesas anuais.

Como Já é de costumes, todo ao temos, IPVA ,IPTU, ,DPVAT,entre outros impostos.

Reserve dinheiro para despesas anuais. Se todo ano tem natal, todo ano tem os impostos e taxas. Se você já sabe que janeiro precisa pagar R$ 1.000 reais de tributos, já reserve para pagar. Lembrando que poder tirar uma pequena parcela do 13º terceiro ou então vai juntando ao longo do ano guardando R$ 84 reais mensais por exemplo.

3ª Ter uma reserva de emergência

Falamos sempre em alguns artigos que precisamos ter uma reserva de emergência.

Imprevistos acontecem com qualquer um, qualquer construção na casa, carro  que precisa de conserto e onde tirar esse dinheiro? Então a reserva de emergência é de fundamental importância. Todos os meses, reserva certa quantia para a reserva.

4ª Evite gasta com coisas desnecessárias

Compramos  coisas que realmente não precisamos e juntando isso no final do mês, aparece uma buraco em nosso orçamento. Então, procure evitar esse tipo de gastos para focar em suas metas e investimentos. Depois quando você estiver desapertando, você pode sim, gastar com coisas que você sempre compra ,afinal, tem famílias que precisa desse dinheiro também.

Gostou das dicas? tem alguma duvidas?é só deixar nos comentários abaixo. até a próxima!

INVESTIMENTOS: Tesouro Direto

Por Fabiana Carvalho

Ele foi criando criado em 2002 pelo Tesouro Nacional – (órgão responsável pela gestão da dívida pública) – para permitir que pessoas físicas possam comprar papéis do governo federal pela internet.

Ou seja, você pode emprestar dinheiro para o governo. Depois recebe os valores acrescidos de juros. Trata-se de um investimento de renda fixa.

É um investimento democrático, pois permite fazer aplicação a partir de 30 reais e oferece liquidez diária.Ou seja, você pode resgatar seu dinheiro a qualquer  momentos, nos dias uteis.

Há várias opções de títulos públicos à venda para perfis diferentes de investidor. É possível escolher diferentes indexadores, prazos de vencimento e fluxos de remuneração.

Títulos do Tesouro Direto

Os títulos do Tesouro Direto se dividem em três categorias.

É preciso saber quais são as opções e como cada uma delas funciona. Além disso, é necessário compreender a remuneração paga. Ela pode ser:

Prefixado

Significa que você sabe desde o início quanto vai receber, desde que mantenha o valor aplicado até a data de vencimento. Por exemplo, .6% ao ano.

Tesouro Selic

Os títulos desta categoria têm rentabilidade atrelada à Selic, que mede a taxa básica de juros da economia. Assim, quanto mais alta é a taxa de juros, mais elevados são os rendimentos. e quanto mais baixa é a taxa, menores são os lucros do investidor. 

Tesouro IPCA+

No Tesouro IPCA+, a rentabilidade dos títulos públicos varia conforme o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), que mede a inflação no Brasil.

Nesse caso, a rentabilidade é o índice mais uma taxa de juros prefixada.

Como o índice varia, não é possível prever com exatidão os valores que serão resgatados no futuro. Apesar disso, independentemente do cenário econômico, o investidor tem a garantia de receber rendimentos acima da inflação, o que é ideal para manter o poder aquisitivo.

Como é a rentabilidade ?

Apresenta 3 formas:

Prefixada: a taxa de juros é definida no momento da aplicação, o que permite prever os rendimentos com exatidão

Pós-fixada: os rendimentos variam conforme algum índice econômico, como a Selic e o IPCA

Híbrida: a rentabilidade é uma junção dos modelos anteriores

Como investir?

É  preciso abrir conta em uma corretora de valores, que servirá como intermediária na compra e venda de títulos. Os títulos do investidor ficam custodiados em seu nome na B3.

Algumas corretoras são agentes integrados de custódia, o que significa que elas permitem compras e vendas de títulos dentro das suas próprias plataformas on-line.

Há também corretoras que permitem compras e vendas programadas de títulos.

O investidor pode agendar as transações e reinvestir os cupons semestrais ou valores recebidos no vencimento dos títulos.

Com a opção do reinvestimento, sempre que o investidor recebe juros ou a devolução do principal, esses recursos são automaticamente aplicados em novos títulos.

O investimento mínimo:

É de 1% do valor de um título, com limite mínimo de 30 reais. Não há limite máximo de patrimônio que um investidor pode manter em títulos públicos, mas o limite máximo de compras é de um milhão de reais por mês.

Quanto custa investir?

Todo investimento em títulos públicos está sujeito à cobrança de imposto de renda sobre os rendimentos, conforme a tabela regressiva válida para as aplicações financeiras.

Para aplicações de prazo inferior a 30 dias, há também a cobrança de IOF sobre a rentabilidade.

Quanto às taxas, o investimento no Tesouro Direto é sujeito a uma única taxa obrigatória, a taxa de custódia do tesouro direto que remunera a guarda dos títulos na bolsa. Trata-se de uma cobrança de 0,3% ao ano sobre o patrimônio investido.

A maioria das corretoras de investimento cobra ainda uma taxa de administração do tesouro direto, chamada de taxa de agente de custódia, de até 0,5% ao ano sobre o patrimônio investido.

Contudo, muitas corretoras já isentam o investidor dessa cobrança, como a XP,por exemplo. No caso do investimento no mercado secundário, não há cobrança de taxa de custódia.

É comum também que as corretoras isentem essa modalidade de taxa de administração. Nesses casos, o investimento sai a custo zero para o investidor. Há apenas a cobrança de impostos sobre os rendimentos.

Tributação do Tesouro Direto

Descubra como funciona a tributação do Tesouro Direto e avalie os impactos na rentabilidade:

IRImposto de Renda

Outra cobrança é o Imposto de Renda, que incide sobre os rendimentos do Tesouro Direto. As alíquotas seguem a tabela regressiva, diminuindo conforme o tempo da aplicação até o resgate:

  • Até 180 dias: 22,5%
  • De 181 a 360 dias: 20%
  • De 361 a 720 dias: 17,5%
  • A partir de 721 dias: 15%

IOF- (Imposto sobre Operações Financeiras)

O Tesouro Direto tem cobrança de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) quando os resgates são em menos de 30 dias.

E a alíquota, nesse caso, pode comprometer toda a rentabilidade. Para você ter uma ideia, ela começa em 96% para resgates em 1 dia e decresce até a isenção.

Quais são as taxas do Tesouro Direto?

Além do Imposto de Renda, o investimento no Tesouro Direto tem taxa de custódia de 0,25% ao ano cobrada pela BM&FBovespa.

Além disso, pode haver cobrança de taxa por parte do banco ou corretora que faz a intermediação do investimento.

Portanto, avalie os preços de diferentes instituições  — muitas delas oferecem isenção de taxas.

Liquidez do investimento?

O Tesouro Direto possui alta liquidez: ao fazer o resgate dos títulos, você recebe o dinheiro em até 1 dia útil. Trata-se do modelo D+1.

Apesar disso, é preciso avaliar o prazo de vencimento dos papéis e respeitar o prazo mínimo de 30 dias para não comprometer os rendimentos com pagamento de altas alíquotas de IR e IOF.

Gostou do conteúdo? nos siga e deixe seu comentário; D

Até a próxima!

INVESTIMENTOS :Investimento financeiro

Por:Fabiana Carvalho

Olá prósperos, vamos entrar no mundo do investimentos financeiros.

Precisamos saber o que é como funciona e para que serve. Hoje vamos dizer o conceito básicos.

O investimento financeiro é uma operação de compra e venda de um ativo financeiro,com o objetivo de repor o valor de compra do ativo e obter lucro.

O objetivo de um investimento financeiro é fazer que, com a ajuda do tempo, “o dinheiro renda dinheiro”.  

Existem duas formas de realizarmos um investimento financeiro:

  • Renda fixa
  • Renda variável

Renda Fixa:

Como o próprio nome sugere, Investimentos em renda fixa são aqueles que têm a taxa de juros fixa, seja ela pré-fixada ou pós-fixada.

Quando uma pessoa investe em renda fixa, ela está emprestando o próprio dinheiro ao emissor do título que, em troca, pagará ao investidor certa quantia de juros. 

  • Tem os títulos pré-fixados

A quantia de juros que o emissor pagará ao investidor é definida no momento que o investimento for firmado.  Um exemplo? um título que paga 7% ao ano. 

  • Tem pós-fixado é um título 

Remunera o investidor de acordo com a variação de um indexador, que é a taxa Selic (taxa básica de juros da economia fixada pelo banco central_, hoje 31/03/2021 a taxa está  2,75% ao ano.

  • Renda variável. 

Renda variável é um tipo de investimento no qual não é possível definir o quanto seu dinheiro vai render em determinado período. Por esse motivo, costumam ser aplicações de maior risco, mas, por outro lado, o rendimento pode ser muito maior e em um espaço de tempo mais curto.

Aplicando em  renda variável, você nunca saberá antecipadamente qual será a rentabilidade, isto é, se você ganhará, perderá dinheiro ou se ficará na mesma situação, em relação ao total investido.

Por isso os investimentos em renda variável, são recomendados para perfis mais arrojados ou agressivos, pessoas que estão dispostas a assumir mais riscos para obter retornos maiores.

Gostou do post? deixe seu comentário;

Até o próximo! D